Pais do Menino que Protegeu a Irmã pedem Orações pelo dono do Cão que os Atacou

O menino Bridger se tornou mundialmente conhecido depois de se colocar na frente de sua irmã e protege-la de um ataque de um cachorro da raça pastor alemão. Ele sofreu diversas mordidas no rosto e cabeça, levou 90 pontos e precisou passar por uma cirurgia de reparação estética. Agora, seus pais estão pedindo oração pelo dono do cachorro que o atacou.

Logo após ser socorrido, o menino explicou porque se colocou entre o cachorro e sua irmã: “Se alguém tivesse que morrer, pensei que deveria ser eu”, disse. Bridger, 06 anos de idade, é praticamente do jiu jitsu brasileiro como o pai e o irmão mais velho.

Na extensa carta publicada pelos pais do menino, um pedido chama atenção: praticar o amor ao próximo, e no caso específico deste episódio, orar pelo dono do cachorro.

“O céu sabe que este ano está difícil e precisamos de mensagens mais positivas. Depois da atitude de Bridger, nossa família faz um simples apelo: que cada um de nós possa se esforçar ativamente para ajudar o próximo a suportar sua carga. Levante-se e proteja os mais frágeis, os oprimidos, aqueles que foram abandonados pelo mundo; chore com os que choram, conforte aqueles que precisam ser confortamos, e amem-se uns aos outros. Que a gente siga o exemplo de Bridger, encare o mundo como uma criança e traga mais paz para nossas casas, comunidades, estados e países”.

A revista Crescer fez a tradução da carta, com o relato dos pais das crianças contando que o dono do cachorro prestou toda a assistência a Bridger e que, mesmo depois do ataque, o garoto pediu que nada acontecesse ao animal.

“Em um momento, a responsável pelo controle de animais veio nos comunicar que o cachorro estava com as vacinas em dia. Ela também explicou que o dono do cachorro foi quem a chamou para relatar o incidente e decidiu sacrificar o cão. Bridger respondeu ‘não quero que nada de ruim aconteça com o cachorro, ele vai ser morto?’. Nós garantimos a ele que a polícia animal cuidaria do cachorro e que ele nunca mais precisaria se preocupar em vê-lo de novo”, contaram os pais.

“Queremos deixar claro que não planejamos pedir qualquer assistência financeira. Assim sendo, condenamos qualquer um que queira explorar o caso de nosso filho para se promover. Também pedimos humildemente que mantenham o dono do cachorro em suas orações e evitem qualquer julgamento superficial – porque nós o amamos”, enfatizaram.

Confira a íntegra da carta de Robert e Teila Walker:

“No começo de 2016, o mundo de Bridger foi transformado. Aos 19 meses de idade, nós apresentamos a ele a sua recém-chegada irmã caçula. Como pais, estávamos ansiosos sobre como ele reagiria, mas sem hesitação e se sentou naquela grande poltrona do hospital e esperou pacientemente a sua vez de segurá-la. Desde aquele momento, estava claro para nós que havia um vínculo especial entre ele e sua irmã. Seu pequeno sorrido bochechudo encheu a sala. Quando seu avô pediu para segurá-la, ele a apertou contra seu próprio peito, indicando que não a daria a ele. E assim foram pelos 15 minutos seguintes. Quando qualquer um tentava tirá-la dele, ele a apertava contra seu peito. Ele tinha esperado a sua vez, e não iria deixa-la passar.
Desde aquele tempo, Bridger raramente fica longe da irmãzinha, o que muitas vezes chega até a irritar a sua personalidade menos sociável. Bridger é agregador, sempre aprendendo, sempre cheio de amor, e é uma absoluta alegria tê-lo em nossas vidas. Nossa casa e nossos corações seriam vazios sem ele.
Nos últimos dois anos, Bridger, seu pai e seu irmão mais velho têm encarado o grande desafio de treinar jiu jitsu brasileiro em uma academia local. Bridger sempre foi um dos mais novos e menores nas aulas. E essa diferença de tamanho deu a ele a oportunidade de confrontar oponentes maiores e mais experientes regularmente. Embora ele seja muitas vezes desatento, Bridger cresceu em maturidade e habilidade. Podemos dizer seguramente que seus amigos mais próximos treinam com ele na Black Label Jiu Jitsu.
Quando sei irmão decidiu recentemente competir em um torneio local, Bridger pediu que também o inscrevêssemos para competir na categoria de sua faixa etária – para nossa preocupação. Depois de ficar em quarto lugar, e o seu irmão em primeiro, ele ficou totalmente arrasado por não ter ganhado uma medalha. Como pais, tentamos ao máximo assegurá-lo de que foi por diversão, que sabíamos que ele tinha feito seu melhor, e que ele havia mostrado seu grande coração e coragem. No caminho para casa, enquanto conversávamos, pudemos dizer a ele que a sua frustração era o começo de uma determinação ainda maior.
Desde que a covid-19 atingiu o mundo com toda a sua fúria, temos separado um tempo em nossa agenda cheia para sentarmos juntos como família aos domingos. Conversamos sobre como cada membro da família está: repassamos as metas de cada uma das crianças e lemos a Bíblia. Bridger geralmente se lembra mais do que os irmãos, contribui ativamente e nos surpreende com seus comentários de “alma experiente”.
Então no dia 9 de julho de 2020 não nos surpreendeu que ele tenha agido dessa forma. Por favor saibam que nós não desejamos embelezar o que aconteceu. Nosso conhecimento sobre os fatos é limitado ao que ouvimos de nossa filha de 4 anos e do próprio Bridger.
Enquanto estava na casa de um amigo, Bridger e a irmã foram ao quintal. Quando chegaram ao jardim, a criança que estava com eles apontou para um cachorro e disse “esse é o cachorro legal”, e apontou para o outro, explicando “esse é o mau”.
Bridger explicou, como, naquele momento, o mau correu até eles. Nas palavras de Bridge “eu dei um passo para o lado, em frente à minha irmã, para que o cachorro não pudesse pegá-la, continuei me movendo, para que ele não conseguisse passar”.
Tragicamente, em vez de fugir, o cachorro saltou e agarrou a sua bochecha. Bridger explicou que quando o cachorro o atingiu, ele gritou para que a irmã corresse. Depois que o cachorro o soltou, Bridger correu até a irmã e levou-a a uma parte mais segura do jardim onde eles acharam que estariam seguros.
Neste momento, entendemos que o dono do cachorro o deteve, levou Bridger para dentro e começou a pressionar os ferimentos, enquanto chamava o serviço de emergência. Seremos sempre e sinceramente gratos pelo amor e cuidado oferecidos. Como pais do Bridger, claro, ficamos devastados com a notícia e fomos imediatamente para o local.
Depois que bombeiros e médicos socorristas chegaram, pudemos começar a avaliar os ferimentos de Bridger. Como era esperado, havia MUITO sangue – tanto que os bombeiros perguntaram que poderiam rasgar a camiseta de Bridger. Ele recusou e disse “Minha mãe gosta de mim com essa camiseta”. Pode soar estranho, mas enquanto a família estava sentada esperando que os médicos estabilizassem Bridger, minha mulher e eu sentimos um forte espírito de amor entre os envolvidos.
O pai de Bridger pode acompanhá-lo na ambulância, e ficou ao seu lado, enquanto sua mulher foi para casa para cuidar do resto da família. No caminho até o hospital, Bridger disse “Sempre quis andar de ambulância… mas não deste jeito. Será que posso voltar para casa em uma também?” Ele amou a bola antiestresse que o médico deu a ele, e ficou com ela o tempo todo, para confortá-lo, desde então.
No hospital, a equipe de emergência imediatamente levou Bridger a uma área fechada por uma cortina. A única vez em que ele chorou foi quando tomou a injeção. Em um momento, a responsável pelo controle de animais veio nos comunicar que o cachorro estava com as vacinas em dia. Ela também explicou que o dono do cachorro foi quem a chamou para relatar o incidente e decidiu sacrificar o cão. Bridger respondeu “não quero que nada de ruim aconteça com o cachorro, ele vai ser morto?
Nós garantimos a ele que a polícia animal cuidaria do cachorro e que ele nunca mais precisaria se preocupar em vê-lo de novo.
O momento mais desafiador para o pai de Bridger foi um instante de silêncio durante a tomografia. Sentando em uma cadeira dobrável ao lado da cama em que estava Bridger, ele começou a perguntar sobre o que aconteceu e conseguiu reunir detalhes acima. Quando Bridger explicou como tinha protegido a irmã, o pai perguntou por que ele fez isso. Bridger, em suas próprias palavras e sem hesitar, disse: “Se alguém tinha que morrer, pensei que deveria ser eu”.
Como uma família, durante um momento em família de domingo, nós tínhamos discutido sacrifícios pessoais e serviço. Ali, naquele momento, Bridger era o professor. O pai de Bridger conseguiu ficar junto com ele apenas até a equipe de emergência levá-lo à cirurgia. A cirurgia demoraria cerca de duas horas; envolveu puxar a pele do seu rosto e juntá-la novamente, colocando-a no lugar com mais de 90 pontos. Antes de deixar a sala de emergência para a cirurgia, o incrível médico supervisor, doutor Jordan Greer II, virou-se para o pais de Bridger e disse “Quero que saiba que ele é o paciente mais corajoso que eu já tive… Eu realmente acho isso”.
Na manhã seguinte, quando o seu qualificado e incrível cirurgião plástico – Dr Joseph F. Looby, chegou, ele perguntou a Bridger se ele tinha animais de estimação.
 Bridger explicou que tem dois cachorros, Elektra e Thor. Quando questionado sobre que tipo de cães eles eram, Bridger encolheu os ombros e disse: “Dos legais”. 
Quando voltamos para casa, a irmãzinha de Bridger ficou muito empolgada em vê-lo. Ela correu até seu pai e disse que foi Bridger que a proteger, que tinha muuuuuuuuuuito sangue e que ela ficou “totalmente em pânico”. Toda a família de Bridger passou a apreciar esses pequenos momentos ainda mais agora, como um novo sinal de como a vida pode mudar.
Em um esforço para animar Bridger, a sua maravilhosa tia Nicole compartilhou a sua história no Instagram, com a esperança de receber mensagens dos super-heróis favoritos de Bridger (ou quem sabe de Mr. Beast, seu youtuber favorito). A resposta foi surpreendente. Nossa família não estava preparada. Apreciamos todas as palavras, amor e orações recebidos. Por diversas vezes no dia, nos pegamos chorando depois de ler como nosso pequeno Bridger tocou outras vidas. Até o momento desta divulgação, nós já recebemos mensagens carinhosas de seus heróis e muitos outros, incluindo: Hugh Jackman, Zachary Levi, Tom Holland, Anne Hathaway, the Russo Brothers, Robbie Amell, e Mark Ruffalo, assim como incontáveis outras de todo o mundo. O amor e o apoio que recebemos nos supreende.
Muitos têm perguntado como podem ajudar. Nós somos muito gratos, mas acreditamos que há muitos com necessidades maiores. Depois de muita oração e reflexão, pedimos a quem gostaria de ajudar que considere contribuir a uma das seguintes organizações:

Mission 22 – uma organização dedicada a combater o suicídio de veteranos de guerra

Operation Underground Railroad – comprometida com a erradicação do tráfico de crianças

Ou

The Wounded Warrior Project – uma organização cuja meta é “ajudar a devolver a independência aos veteranos de guerra mais gravemente feridos”

Queremos deixar claro que não planejamos pedir qualquer assistência financeira. Assim sendo, condenamos qualquer um que queira explorar o caso de nosso filho para se promover. Também pedimos humildemente que mantenham o dono do cachorro em suas orações e evitem qualquer julgamento superficial – porque nós o amamos.
Ironicamente, antes do ferimento de Bridger, nossa família vinha discutindo que diríamos se pudéssemos espalhar uma única mensagem ao mundo inteiro. Não tínhamos a expectativa de ter realmente essa chance. O céu sabe que este está sendo um ano chato e precisamos de mais mensagens positivas.
Depois da atitude de Bridger, nossa família faz um simples pedido: que cada um de nós possa se esforçar ativamente para ajudar o próximo a suportar sua carga. Levante-se e proteja os mais frágeis, os oprimidos, aqueles que foram abandonados pelo mundo; chore com os que choram, conforte aqueles que precisam ser confortamos, e amem-se uns aos outros. Que a gente siga o exemplo de Bridger, encare o mundo como uma criança e traga mais paz para nossas casas, comunidades, estados e países”.

Fonte Gospel Mais;
Aílson Garcia
Administrador em Ajduk's
Sou Ailson Garcia. Tenho 41 anos e sou o criador do portal gospel Ajduk's. Também sou locutor da rádio Ajduk's, editor do portal, fotógrafo, técnico de som e administrador direto da rádio. Sou casado com Andreia Garcia e moramos em Tupã desde 1988. Desde 2000 sou cristão dedicado a levar a palavra de Deus para o mundo. Tenho prazer em fazer a obra de Deus e através deste ministério alcançar vidas em todo o mundo com a ajuda da internet.
Aílson Garcia on EmailAílson Garcia on FacebookAílson Garcia on InstagramAílson Garcia on TwitterAílson Garcia on Youtube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: