Políticos dizem que Gaviões da Fiel cometeu crime e prometem providências

A polêmica envolvendo a escola de samba Gaviões da Fiel, que no último domingo desfilou em São Paulo exibindo a encenação de uma luta entre Jesus Cristo e o diabo, deverá ganhar novos capítulos nos próximos dias. Isso porque, segundo uma nota da Bancada Evangélica do Congresso Nacional, o ato não pode ser considerado arte, mas sim um crime.

No enredo da Gaviões da Fiel, a figura de Jesus aparece sendo massacrada e morta pelo diabo e seus demônios, em uma clara afronta aos textos bíblicos que fundamentam a fé da maior religião do planeta, o cristianismo, o que para a Bancada Evangélica constitui um crime.

Gaviões da Fiel ataca a fé cristã ao apresentar “derrota de Jesus” para o diabo em desfile

“A Frente Parlamentar Evangélica – FPE manifesta profunda indignação e repúdio ao espetáculo da “Gaviões da Fiel”, no carnaval de São Paulo, com uma apresentação pública ofensiva e desrespeitosa a todos nós, cristãos, ao vilipendiar e escarnecer o Senhor Jesus Cristo e a nossa fé”, diz o início da nota, segundo o Gospel Prime

“Entendemos que aquela apresentação não é arte, é crime”, continua a nota, explicando que a liberdade de expressão, na qual se inclui a artística, possui limites, não podendo ser utilizada para ferir o sentimento religioso de pessoas, por exemplo, como neste caso em particular.

“Nenhum direito é absoluto, logo o direito à manifestação artística não se sobrepõe à inviolabilidade da consciência e da crença”, diz a nota, citando em seguida uma entrevista dada pelo coreógrafo da Gaviões, onde ele deixa claro que a intenção foi mesmo “chocar” e atingir a fé alheia, obviamente a dos cristãos.

“O foco era chocar. … Alcançamos nosso objetivo que era mexer com a polêmica Jesus e o diabo e a fé de cada um”, disse o coreógrafo Edgar Júnior.

Por fim, a bancada promete que tomará “as medidas cabíveis” contra a Gaviões da Fiel, especialmente porque o ato foi realizado com parte do dinheiro público.

Um dos integrantes da Frente Evangélica, o pastor e deputado federal Marco Feliciano, também se manifestou deixando claro que não se trata de uma defesa religiosa, mas cidadã, em nome do direito público.

“O meu Jesus não precisa de defesa, ele é a própria justiça. Mas eu tenho todo direito de ficar indignado e como legislador, isso não é o que quer o povo que represento”,disse o pastor.

Fonte Gospel Mais.

Aílson Garcia
Administrador em Ajduk's
Sou Ailson Garcia. Tenho 41 anos e sou o criador do portal gospel Ajduk's. Também sou locutor da rádio Ajduk's, editor do portal, fotógrafo, técnico de som e administrador direto da rádio. Sou casado com Andreia Garcia e moramos em Tupã desde 1988. Desde 2000 sou cristão dedicado a levar a palavra de Deus para o mundo. Tenho prazer em fazer a obra de Deus e através deste ministério alcançar vidas em todo o mundo com a ajuda da internet.
Aílson Garcia on EmailAílson Garcia on FacebookAílson Garcia on InstagramAílson Garcia on TwitterAílson Garcia on Youtube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: