Como está a sua casa?

Povo não cai mais na conversa da Globo e humilha emissora após campanha de ódio contra PM’s

A Rede Globo exibiu nesta semana um episódio da novela adolescente Malhação, e em uma das cenas a emissora mais uma vez praticou um de seus muitos ataques infelizes à Polícia Militar de São Paulo. Leia o que foi publicado pela Veja:

A cena mostrava dois personagens da trama, adolescentes, sendo tratados de maneira racista por um policial militar.

Na sequência, Tina (Ana Hikari) e Anderson (Juan Paiva) são parados na rua por um grupo de policiais. Um deles trata os dois como “negão” e “japinha” e, ao ser chamado de “mano” por Anderson, ele diz ao rapaz: “Escuta aqui, não estou falando contigo, rapaz. E ‘mano’ é gente da tua cor”. Tina diz ao policial que ele está sendo racista e ele ameaça levar os dois adolescentes para a delegacia por desacato à autoridade.

O lado bom é que a população já perdeu totalmente a fé nesse tipo de manipulação barata. Nas redes sociais, em todas as matérias sobre o caso, a esmagadora maioria dos comentário foram no sentido de criticar a emissora. Aliás, este tipo de abordagem de tema que visa demonizar um lado que, curiosamente, é atacado frequentemente pela extrema-esquerda, mostra um claro posicionamento da emissora.

Como bem destacou o Jornalivre ao noticiar o caso, isso não é de hoje que isso acontece. A propósito, leia o que foi dito pelo site:

Não é de hoje que a Rede Globo tenta trazer esse tipo de noção para seu público. Recentemente, no programa Encontro, apresentado por Fátima Bernardes, houve uma situação similar em que a emissora tentou induzir seu público a ter mal juízo dos policiais. O Jornalivre também publicou esta notícia na época.

Fica escancarado o interesse em toda a programação Global no sentido de denegrir o trabalho da polícia e enaltecer a bandidagem. Isso não só acontece em sua programação para entretenimento, como novelas e séries, mas também em seu pseudo-jornalismo fajuto.

É exatamente isso. A emissora tem adotado há muito tempo a agenda regressista em toda sua programação. Os programas apresentados por Pedro Bial e Fátima Bernardes servem quase integralmente para esta finalidade, uma vez que quase sempre as entrevistas e reportagens são feitas nesse sentido. Isso, é claro, quando não falam em ideologia de gênero e coisas similares.

 

Aos olhos da população, entretanto, esse tipo de conteúdo já caiu em descrédito.

 

Mais uma prova como a globo manipula você.

O momento enfrentado pelo grupo Globo, da família Marinho, é delicado. No fim de semana, centenas de pessoas protestaram diante da sede da emissora no Rio de Janeiro. Pouco depois, um grupo invadiu um triplex em Paraty (RJ), cuja propriedade é atribuída aos Marinho, que negam serem donos da casa. Ontem, integrantes do MST invadiram a sede da afiliada da Globo em Goiânia, o que mereceu notas de repúdio de entidades ligadas ao jornalismo (saiba mais aqui).

Por trás do cerco à Globo, está a percepção de que a emissora dos Marinho hoje atua, assim como em 1964, com o propósito claro de fragilizar a democracia brasileira. E o problema é que a Globo, com seu noticiário enviesado, de fato alimenta essa percepção.

Na sexta-feira passada, por exemplo, quando a Globo decidiu entrar de cabeça na história da suposta delação de Delcídio Amaral (PT-MS) – não homologada pela Justiça e negada pelo próprio “suposto delator” –, o jornal O Globo chegou às bancas e casas de seus assinantes com uma manchete triunfante e definitiva: “Delação de Delcídio põe Dilma no centro da Lava-Jato”.

Hoje, quando se sabe que o senador Aécio Neves está na mesma hipotética delação, por seu suposto envolvimento nada republicano numa CPI, o Globo esconde a notícia no pé da primeira página e nem cita o presidente nacional do PSDB em seu título.

Na semana passada, após o vazamento da suposta delação de Delcídio, Aécio convocou uma reunião de emergência da oposição, decretou pela enésima vez a morte do governo da presidente Dilma Rousseff e decidiu retomar a pressão pelo impeachment, informando que anexaria a suposta delação de Delcídio ao pedido inicial, aprovado por Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Coincidência ou não, Aécio passou a dizer, agora, que a suposta delação de Delcídio só será anexada ao pedido de impeachment depois de ser homologada – uma vez citado, pode até ser que o senador passe a trabalhar contra sua homologação.

Por último, mas não menos importante, na semana passada todos os veículos de comunicação do grupo Globo relativizavam o fato de o próprio Delcídio ter negado, em nota, o teor da delação atribuída a ele. Hoje, o Globo publica declaração de um dos advogados de Delcídio, Antonio Figueiredo Basto, afirmando que “documentos falsos estão sendo publicados” e, de novo, negando a delação.

Ou seja: no mundo da Globo, ela só seria verdadeira, se atingisse apenas o PT e a presidente Dilma. Contra Aécio, vira mentira.

 

Pastor Marco Feliciano faz crítica a novela da rede globo.

O pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC/SP) gravou um vídeo no qual faz críticas a novela “A força do querer”, da Rede Globo.

No vídeo compartilhado no Facebook o pastor afirma que a novela é um ataque a família, pois faz apologia ao crime, ao adultério, aos jogos e promoção da ideologia de gênero.

O parlamentar usou um texto assinado pela Associação Pais & Filhos do Brasil para criticar a emissora carioca.

“A Rede Globo em parceria com as instituições do crime organizado está oferecendo curso de gerenciamento de boca de fumo, traficantes, golpes em geral, tudo isso gratuitamente”, criticou Feliciano.

A novela das nove transmitida pela Rede Globo tem recebido acusações de apologia ao crime e aborda a temática da disforia de gênero.

Na trama escrita por Gloria Perez a atriz Juliana Paes interpreta “Bibi Perigosa”, que entrou para o crime após se casar com um traficante.

A autora investe em temas variados como transexualidade, vício em jogo, ditadura do corpo perfeito, sereismo, entre outros assuntos.

Em sua crítica a novela das nove o parlamentar chega a usar um tom de ironia ao afirmar que são verdadeiras “teleaulas” passadas de segunda a sábado.

“Quer aprender a atrair o marido ou a esposa? Quer virar viciado em jogos clandestinos? Quer ser patrão do tráfego ou gerente? Quer virar mulher de bandido? Quer incentivar o seu filho ou sua filha a ser gay ou lésbica?”, questiona Feliciano. “Pois bem! Na Rede Globo você tem todos esses cursos gratuitamente”, ironiza.

A novela também traz a personagem Ivana, que na trama não aceita o fato de ter nascido mulher e faz uma transição para tentar virar homem.

Feliciano acusa a novela de usar a personagem para fazer apologia a Teoria de Gênero.

O líder evangélico tornou-se um dos principais opositores aos avanços de ideologias contrárias a família e a cultura judaico-cristã.

Na Câmara dos Deputados enfrentou perseguição e chegou a se tornar um dos inimigos públicos de ativistas de esquerda.

 

Marco Feliciano ataca a globo e diz que emissora promove “ curso para bandido “ na novela força do querer.

 

A postura da TV Globo em fazer apologia à ideologia de gênero em toda sua programação, e principalmente em A Força do Querer, além da glamourização do crime que a novela mostra, foi classificada pelo pastor Marco Feliciano (PSC-SP) como um “curso para bandido”.

O vídeo em que Feliciano critica a emissora da família Marinho foi publicado na última quinta-feira, 14 de setembro, em suas redes sociais. “Rede Globo disponibiliza gratuitamente, de segunda a sábado, ‘cursos para bandidos’”, acusou o pastor.

Um resumo do que a novela A Força do Querer apresenta foi feito pelo pastor: “apologia ao crime, ao adultério, jogos e promoção da maldita ideologia de gênero”.

“A Rede Globo, em parceria com as instituições do crime organizado, está oferecendo curso de gerenciamento de boca de fumo, traficantes, golpes em geral, tudo isso gratuitamente”, reiterou o pastor, criticando duramente a novela escrita por Glória Perez, hoje a principal escritora da emissora.

No caso do folhetim atual, Gloria Perez tem dado ênfase ao vício em jogos, ditadura do corpo perfeito, ideologia de gênero (com uma personagem que nasceu menina, quer virar homem e namorar outro homem) e também a caracterização de conservadores como machistas e preconceituosos.

A referência feita pelo pastor Marco Feliciano ao “curso para bandidos” está ligada à personagem Bibi Perigosa, que casou com um traficante e o apoia, tomando providências para problemas que surgem com a Polícia e a Justiça.

“Quer aprender trair o marido ou a esposa? Quer virar viciado em jogos clandestinos? Quer ser patrão do tráfico, ou gerente? Quer virar mulher de bandido? Quer incentivar seu filho, ou sua filha, ser gay ou lésbica? Quer ser incentivado a torcer somente para um time de futebol? Quer dar o golpe da barriga e mentir quem é o pai só para se dar bem nessa vida? Pois bem, na Rede Globo você tem todos esses cursos gratuitamente”, disse o pastor.

“Infelizmente, essa campanha de degradação da família brasileira existe há quase 30 anos. Isso faz parte de algo bem maior. Cazuza escreveu assim nos anos 1980: ‘Transformam o país inteiro num puteiro, pois assim se ganha mais dinheiro’. Agora, até comercial incentivando a mudança de sexo, a Globo está passando durante a novela. Não demora, vão começar a exibir a novela que ensina seu filho ser gay desde os cinco anos de idade, e ensinar também como as crianças devem beijar as outras do mesmo sexo”, criticou Feliciano.

O que você está deixando entrar dentro da sua casa? A sua casa está no seu dominio, e dependendo você mesmo pode afundar a sua casa, e destruir a sua familia, pense nisto? É hora de mudar 2 Timoteo 3.16 “Não porei coisa má diante dos meu olhos”

 

Reflexão: Pastor Marco Feliciano

Compartilhe
Edilson Marini
Colunista em Ajduk's

Sou o pastor Edilson Marini e há 21 anos eu pastoreio igrejas. Fui chamado ainda muito jovem, e hoje aos 40 anos tenho o meu próprio ministério na Igreja Pentecostal Restauração da Glória de Deus, em Tupã/SP.


Edilson Marini on Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: