Ser reconhecido!

O ser humano de forma geral tem a necessidade de participar de algum grupo ou ser aceito pelas pessoas, na igreja com os jovens também não é diferente. Quando nos identificamos em alguma igreja ou dentro dela em algum grupo buscamos ser aceitos, amados e queridos por determinado grupo. Como dentro das igrejas há vários grupos como teatro, dança, louvor , bandas entre outros, sempre haverá um em que a gente se encaixa.

Depois de se encaixar no grupo, de conquistar seu espaço, ser reconhecido ou valorizado, algumas pessoas se esquecem de que quem tem de aparecer é o nome de Jesus! Não são suas ideias ou opiniões que são mais especiais do que as dos outros, é claro que ter ideias e opiniões é sempre muito bem vindas para somar e não para se destacar.

Alguns discípulos perguntaram para Jesus quem seria o maior no Reino dos céus, Mateus 18, o fato deles estarem com Jesus o tempo todo não os tornava maior do que os demais, Jesus disse que se não tiverem o coração como o de uma criança não entrariam no reino, muitos após participarem dos grupos acreditam que precisam ser servidos e não servir, que precisam serem o destaque, não podemos nos esquecer do salvador, do exemplo que nos deixou sendo filho de Deus, veio ao mundo como homem para nos salvar!

Jesus deve ser o centro e não nós! Temos de ser reconhecidos pelo mestre e não pelas pessoas, na parábola das bodas, o senhor reconheceu aqueles que estavam vigiando e aquelas que chegaram atrasadas  preocupadas com muitas outras coisas e não se preparam para recebê-lo não foram reconhecidas por ele.

Portanto, vigiai, quem deve te reconhecer é Cristo e não as pessoas, nos vale mais a vida eterna do que um momento de exaltação aqui na terra.

Érica Scalhon
Colunista em Ajduk's
Sou a pastora Érica Scalhon Lima, filha de Valdir Scalhon e Marly Marques Scalhon nascida em 26 de Novembro de 1980. Cursei Letras na FEOCRUZ, e me casei em 2003 com Anderson Correia Lima. Fiz o curso do Instituto Teológico Quadrangular e em 2007 fomos elevados a obreiros da Igreja do Evangelho Quadrangular, passando a pastoreá-la no ano seguinte em Queiroz/SP. Também tenho graduação em pedagogia pela Universidade Anhanguera, e atualmente trabalho como professora mediadora.
Érica Scalhon on Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: