Será que Deus existe? Leia e descubra!

 

Por Pr. Edilson Marini

 

Descartes, filósofo francês (1596-1650), tinham como principal método de estudo, o questionamento de toda a verdade que lhe era apresentada passando a primeiro, pelo crivo da razão, desconsiderando o que a razão não aceitasse um dos seus estudos, foi sobre a existência ou não de Deus. Sem considerarmos as questões religiosas e de crenças envolvidas em tais assuntos, vejamos o que dizia Descartes. Para ele a única coisa que realmente pode ser considerada verdadeira é o pensamento, visto que todo pensamento por si, só prova a sua existência, ou seja, mesmo que uma pessoa duvide que o pensamento exista, essa sua duvida já é um pensamento. Essa proposição de Descartes fez surgir sua celebre frase: “Penso, logo existo”, que apesar de pequena guarda grande dimensão filosófica. Uma vez de posse dessa nova linha de raciocínio, a razão, Descartes passa a examinar a ideia de perfeição. Quando dizemos que alguma coisa é imperfeita, estamos usando a ideia de perfeição sob a forma de falta de alguma coisa, ou seja, ausência de algo que tornaria perfeita a coisa estuda. Caso essa coisa estuda estivesse completa teríamos a noção de um ser perfeito demonstrando que a ideia da perfeição não se origina no sentido, mas na razão, Descartes abre o caminho para a prova racional da existência deDeus. Ao questionar a origem da ideia de Deus, ele depara com o problema de que essa ideia não pode ter surgido do nada, pois o nada, nada cria nenhum ser, muito menos um ser perfeito, pode ter surgido do nada. Seguindo esse raciocínio Descartes afirmou, também que um ser imperfeito não pode ser a causa da criação de um ser perfeito, pois ou menos não pode ser a causa do mais. A ideia da perfeição nasce junto com o homem é uma ideia inata. Resta a ideia de que a perfeição não tendo sua origem do nada e nem tão pouco em um ser imperfeito por natureza, só pode ter sido posta na razão por um ser perfeito. Não somente vemos um homem afirmar a existência de Deus, como Descartes o filósofo. Mas na bíblia vemos muitos homens de Deus usados pelo Espirito Santo que afirmam a existência de Deus pois viveram experiências maravilhosas com ele.

 

universo_na_palma_da_mao
universo_na_palma_da_mao_de_Deus

 

Lemos na bíblia e vemos evidencias da existência de Deus. Quando analisamos as coisas criadas, inclusive as estrelas, todos esses nos ensinam que a um Deus criador Onipotente, Onisciente: Mas, pergunta agora as alimárias, e a cada uma delas to ensinara; e as aves dos céus, e elas to farão saber; ou falar com a terra; e ela to ensinara; ate os peixes do mar to contaram. Quem não entende por todas essas coisas que mão do senhor fez isso, que esta na sua mão a alma de tudo quanto vive, e o espirito de toda carne humana? Jó 12; 7, 8, 9, 10. Vemos também em Gênesis 2;1: Assim, os céus, da terra, e todo seu exercito foram acabados. E, havendo Deus acabado no dia sétimo a sua obra, que tinha feito, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito. E abençoou o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda sua obra, que Deus criara e fizera. E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra e soprou em seus narizes o folego de vida e o homem se tornou vivente, Gênesis 2;7.

E da costela que o Senhor Deus tornou do homem formou uma mulher; e trouxe Adão, Genesis 2;22. Quando lemos todas essas coisas vemos a existência de Deus fomos formados por ele. É somente você olhar ao seu redor e ver as arvores, as estrelas, lua, sol, mar, etc… Jamais o homem poderia criar tudo isso, então é lógico que quem criou foi Deus. Entendemos também que o homem não criou o homem, mais sim Deus criou o homem e tudo o que esta ao nosso redor. Lembre-se o homem foi criado do pó da terra e para o pó da terra voltara. E Jesus também voltara, na sua primeira vinda veio como cordeiro mudo, na segundo vinda vira como o Rei dos Reis e Senhor do Senhores, pense nisto.

 

Reflita

download

Este artigo se refere à um suposto debate entre Albert Einstein e um professor de uma Universidade de Berlim, onde Einstein nem foi aluno, mas sim professor por volta de 1914:

Alemanha
Inicio do século 20

Durante uma conferência com vários universitários, um professor da Universidade de Berlim desafiou seus alunos com esta pergunta:
“Deus criou tudo o que existe?”

Um aluno respondeu valentemente:
“Sim, Ele criou.”

“Deus criou tudo?”
Perguntou novamente o professor.
“Sim senhor”, respondeu o jovem.

O professor respondeu,
“Se Deus criou tudo, então Deus fez o mal? Pois o mal existe, e partindo do preceito de que nossas obras são um reflexo de nós mesmos, então Deus é mau?”

O jovem ficou calado diante de tal resposta e o professor, feliz, se regozijava de ter provado mais uma vez que a fé era m mito.

Outro estudante levantou a mão e disse:
“Posso fazer uma pergunta, professor?”

“Lógico.” Foi a resposta do professor.

O jovem ficou de pé e perguntou:
“Professor, o frio existe?”

“Que pergunta é essa? Lógico que existe, ou por acaso você nunca sentiu frio?”

O rapaz respondeu:
“De fato, senhor, o frio não existe. Segundo as leis da Física, o que consideramos frio, na realidade é a ausência de calor. Todo corpo ou objeto é susceptível de estudo quando possui ou transmite energia, o calor é o que faz com que este corpo tenha ou transmita energia.
O zero absoluto é a ausência total e absoluta de calor, todos os corpos ficam inertes, incapazes de reagir, mas o frio não existe. Nós criamos essa definição para descrever como nos sentimos se não temos calor”

“E, existe a escuridão?”
Continuou o estudante.
O professor respondeu: “Existe.”

O estudante respondeu:
“Novamente comete um erro, senhor, a escuridão também não existe. A escuridão na realidade é a ausência de luz.
A luz pode-se estudar, a escuridão não!
Até existe o prisma de Nichols para decompor a luz branca nas várias cores de que está composta, com suas diferentes longitudes de ondas.
A escuridão não!
Um simples raio de luz atravessa as trevas e ilumina a superfície onde termina o raio de luz.
Como pode saber quão escuro está um espaço determinado? Com base na quantidade de luz presente nesse espaço, não é assim?
Escuridão é uma definição que o homem desenvolveu para descrever o que acontece quando não há luz presente”

Finalmente, o jovem perguntou ao professor:
“Senhor, o mal existe?”

O professor respondeu:
“Claro que sim, lógico que existe, como disse desde o começo, vemos estupros, crimes e violência no mundo todo, essas coisas são do mal.”

E o estudante respondeu:
“O mal não existe, senhor, pelo menos não existe por si mesmo. O mal é simplesmente a ausência do bem, é o mesmo dos casos anteriores, o mal é uma definição que o homem criou para descrever a ausência de Deus.
Deus não criou o mal.
Não é como a fé ou como o amor, que existem como existem o calor e a luz.
O mal é o resultado da humanidade não ter Deus presente em seus corações.
É como acontece com o frio quando não há calor, ou a escuridão quando não há luz.”

Por volta dos anos 1900, este jovem foi aplaudido de pé, e o professor apenas balançou a cabeça permanecendo calado…

Imediatamente o diretor dirigiu-se àquele jovem e perguntou qual era seu nome?

E ele respondeu:
“ALBERT EINSTEIN.”

 

Edilson Marini
Colunista em Ajduk's
Sou o pastor Edilson Marini e há 21 anos eu pastoreio igrejas. Fui chamado ainda muito jovem, e hoje aos 40 anos tenho o meu próprio ministério na Igreja Pentecostal Restauração da Glória de Deus, em Tupã/SP.
Edilson Marini on Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: